Gorjeta nos Estados Unidos: quanto deixar e obrigatoriedade

Gorjeta (tip, em inglês) é um assunto muito sério nos Estados Unidos da América.

Diferente do Brasil, onde a gorjeta é opcional (apesar de ser feio não deixar), nos EUA ela é praticamente obrigatória, embora não seja algo descrito em lei.

Em cidades como New York, os trabalhadores chegam a ser grosseiros em relação a isso, e é comum ver cartazes exigindo a tip.

Caso o cliente não deixe gorjeta, ou entregue um valor abaixo do convencional, eles são insistentes em saber o motivo.

Na Flórida, a regra é a mesma: inclua a gorjeta na hora de pagar a conta.

Porcentagem da gorjeta nos Estados Unidos

Muito restaurantes entregam a conta com três opções de gorjeta:

  • 15%
  • 18%
  • 20%

Cabe ao cliente circular na nota qual a porcentagem que deseja agregar à conta. Mas nem todos os lugares oferecem essa possibilidade.

Muitos restaurantes, infelizmente, já entregam a conta com 18% embutidos no valor.

Inclusive, em cidades mais turísticas e caras, como Miami, a gorjeta é cobrada até mesmo em pedidos feitos no balcão, pra levar pra casa.

Além de gorjeta, saiba que todos os seus gastos ainda serão acrescidos com o imposto municipal. Em Orlando, são 6,5%, e em Miami, são 7%.

Impostos e taxas

E sobre o valor final da conta, ainda tem a taxa de IOF, de 4,38%, caso você utilize um cartão de banco convencional. Por isso, recomendo que você tenha um cartão internacional pré-pago, como o Wise, que cobra apenas 1,1% de imposto sobre as compras em território estrangeiro.

Então, agora você já sabe quanto deixar de gorjeta nos Estados Unidos: se não estiver descrito nenhum valor, deixe no mínimo 15%. Caso a conta já venha com 18% ou mais, infelizmente será preciso pagar o valor, para não criar uma situação desagradável.

Por isso, sempre vá a bares e restaurantes que estejam dentro do seu orçamento, e evite momentos embaraçosos.

Gorjetas em hotéis

Sabe aquela situação corriqueira em filmes, em que o mensageiro leva as malas até o quarto e fica esperando a gorjeta? Nunca vi.

Talvez por nunca ter ficado em hotéis elegantes nos Estados Unidos, ou mesmo por não ter percebido.

Aliás, fico pensando, na era do cartão de crédito, em que ninguém tem dinheiro em espécie, como fica a situação desse mensageiro?

Eita, leu tudo? Então veja também:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *